"[...] a vida não tem utilidade nenhuma. A vida é tão maravilhosa que a nossa mente tenta dar uma utilidade a ela, mas isso é uma besteira. A vida é fruição, é uma dança, só que é uma dança cósmica, e a gente quer reduzi-la a uma coreografia ridícula e utilitária. [...] Nós temos que ter a coragem de ser radicalmente vivos, e não ficar barganhando a sobrevivência."

Ailton Krenak, A vida não é útil
[KRENAK, 2020, pp. 108-109]