"Em 1941, tentando transmitir uma imagem do Rockefeller Center, Sigfried Giedion recorreu à fotomontagem e comentou, 'Expressões da nova escala urbana como o Rockefeller Center precisam ser concebidas no espaço-tempo e não podem ser apreendidas em apenas um olhar. Para obter a sensação de suas interrelações o olho precisa funcionar como nas imagens em alta velocidade de Edgerton.' A fotomontgem de Giedion reproduz a experiência pedestre da percepção descontínua, móvel, temporária e extendida de extruturas gigantescas, incomensuráveis à escala humana. Ao quebrá-la, as faz mais acessíveis ao passo que preserva a percepção que se tem ao seu encontro".

Martino Stierli, Montage and The Metropolis
[STIERLI, 2020, p.2]

︎Fotomontagem do Rockefeller Center, Sigfried Giedion - Space, Time and Architecture: The Growh of a New Tradition.